CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA Á MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS ATACADO E VAREJO DO BRASIL

quarta-feira, 14 de março de 2012

Manual do Procon tira dúvidas relacionadas ao casamento


Assistente de direção do Procon afirma que é importante ter informação e questionar em qualquer caso de dúvida.

Maio é o mês da noivas. Para ajudar os casais, o Procon dá muitas dicas e até preparou um manual para as compras e contratações relacionadas ao casamento. A assistente de direção do Procon, Maíra Feltrin Alves, tira dúvidas dos principais problemas que os noivos enfrentam neste período.
Maíra Feltrin Alves: “Todos os serviços que os noivos contratam, normalmente, apresentam algumas dúvidas. As pessoas ficam em dúvida de como podem usufruir do serviço, quais são seus direitos e como fazer para evitar os problemas. A grande dica nesse sentido é ter informação, é questionar em qualquer caso de dúvida, é indicar ao fornecedor o que realmente pretende e identificar aquilo que vai ser realmente prestado”.
Bom Dia Brasil: Há muita informalidade nessa relação, não é? Essas contratações não são firmadas em papel, muitas vezes são feitas meio de boca ou por e-mail. Como o consumidor pode se proteger, porque o dano pode ser irreparável. Já pensou se você contrata um bolo de casamento, por exemplo, e esse bolo não é entregue no dia da festa?
“Isso acontece. Às vezes o comércio informal, a pessoa conhece alguém que faz bolo. Mas é importante, fazer por escrito. Ainda que seja uma coisa muito simples. Tudo o que é combinado, vincula. O consumidor está resguardado do seu direito ainda que não seja escrito, Mas para ficar melhor, é bom escrever o tipo de bolo, por exemplo, quando vai ser entregue, o horário, todos os detalhes da contratação.
O manual está sendo distribuído no Procon, em São Paulo?
“Ele é distribuído no Procon ou nos postos de atendimento do Poupa Tempo e também está disponível na internet, no site do Procon”.
Uma pessoa contratou um cerimonialista, por exemplo, que concentra toda a contratação de serviços, não é? Ela pagou a esse cerimonialista e na hora deu tudo errado. Quebraram coisas alugadas, o cerimonialista se isentou de qualquer responsabilidade e ela teve que indenizar as empresas que alugaram este material. Ele tem co-responsabilidade? Ele também teria que arcar com os prejuízos?
“No caso o cerimonialista é o responsável pela organização e pelo bom andamento do evento. Então, dependendo do contrato firmado, ele se torna responsável por todo o evento e aí poderia ter essa negociação de ele ser responsabilizado”.
Tudo tem que constar em contrato, não é?
“É fundamental”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.